Esterilização no Amazonas

Crianças do Amazonas levam seus animais para serem esterilizados

1 - Manaus

Desde 2002, a WSPA tem atuado na introdução da metodologia de controle humanitário de populações de cães e gatos na capital do Estado do Amazonas.

A partir da realização do I Seminário de Controle de Populações, no final de 2002 – que pela primeira vez abordou essa questão e reuniu representantes da Secretaria de Saúde e da Secretaria de Meio Ambiente de Manaus, protetores e médicos veterinários –, o trabalho realizado em viagens periódicas a essa capital incluiu a realização de dois Workshops de Esterilização, em parceria com as Faculdades de Medicina Veterinária das Universidades ESBAM e Nilton Lins, para capacitação de veterinários locais e de veterinários do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).
 
Em 2006, com a realização de um Curso de Formação de Oficiais de Controle Animal, para a equipe do Centro de Controle de Zoonoses, a WSPA conseguiu a extinção da utilização de câmara de gás e da eletrocussão empregadas por esse centro, além da introdução de um incipiente programa de esterilização e adoção.

Em 2007, a partir da mudança da direção desse CCZ, esses programas foram expandidos e a WSPA participou da realização do I Seminário de Saúde Pública e Controle de Populações realizado por esse órgão.

A WSPA tem também dado suporte para o trabalho do Grupo de Proteção Animal – GPA, tendo patrocinado suas campanhas de esterilização em diversos bairros.

2 - Balbina

Localizada a cerca de 150 km ao norte de Manaus, Balbina é a sede do Centro de Pesquisa e Preservação de Mamíferos Aquáticos (CPPMA), nosso parceiro no projeto de Resgate de Filhotes de Peixe-Boi.

Nessa área, a WSPA tem dado apoio ao programa de esterilização da Associação Amigos do Peixe-Boi, patrocinando cirurgias de esterilização.

3 - Baixo Amazonas

Palestra sobre Posse Responsável

Na região do Baixo Amazonas a única referência em proteção animal é a WSPA. O método de controle de populações caninas e felinas utilizado em municípios dessa região é usualmente a captura e o extermínio. A região conta com um número ínfimo de médicos veterinários e em toda a região existe uma única clínica veterinária. 

Em abril de 2007 a WSPA realizou uma primeira reunião com o Secretário de Saúde de Parintins, Dr. João Tussolini, recomendando a substituição do método de controle de população de cães utilizado nesse município por um programa humanitário, incluindo esterilização e adoção dos animais recolhidos. Contatos também foram feitos com as Secretarias de Saúde dos municípios de Faro e Terra Santa.

Uma equipe veterinária com participantes de São Paulo (ITEC) e Manaus foi montada pela WSPA para realizar pilotos de esterilização nesses municípios e treinar veterinárias das Secretarias de Saúde de Parintins e Terra Santa, as doutoras Claudia Campos e Cristina Leite, em técnicas cirúrgicas de esterilização.

Em 2007 e 2008 foram realizadas as primeiras cirurgias de esterilização na região, atingindo cerca de 300 cães e gatos, com o apoio das prefeituras e secretarias de saúde locais.

A WSPA tem prosseguido com esse programa nos municípios de Parintins, Faro, Nhamundá e Terra Santa, dando continuidade a seu trabalho pioneiro no controle humanitário de populações de cães e gatos, atingindo no total quase 1.000 animais.

Page tools:
Imprima esta Página

Conecte-se com a WSPA Brasil no:

Facebook siga-nos no twitter assista nosso canal de vídeos no youtubeencontre-nos no flickr