Bem-estar animal e desenvolvimento sustentável

Entrevista exclusiva da Consultora de Campanhas de Agricultura Sustentável da WSPA Internacional - Vicki Hird

WSPA Brasil - Qual o significado e a importância do “side event: Um só planeta, uma só casa”, realizado durante a Comissão de Desenvolvimento Sustentável (19ª CDS), no contexto da estratégia global da WSPA sobre o tema da sustentabilidade?

Vicki Hird - Essa foi a primeira vez que a WSPA organizou um evento conjunto, relacionando especificamente dois temas-chave – a Agricultura Humanitária Sustentável e a necessidade de auxílio em casos de desastres – para a agenda das Nações Unidas, da Comissão de Desenvolvimento Sustentável, e da Rio + 20. Foi uma grande oportunidade de apresentar à  ONU, aos representantes dos governos, às instituições e às ONGs a relação entre a criação de animais com padrões elevados de bem-estar e os benefícios ambientais e sociais, assim como para divulgar os nossos planos para o evento no Rio. A parceria com a Bioregional, que falou sobre a Terra como único lar para todos, garante a inclusão na agenda do elo entre produção e consumo, e mostra a forma como todos esses temas devem ser tratados. No âmbito dos países em desenvolvimento, o fornecimento sustentável de alimentos deve ser analisado dentro do contexto mais amplo da criação animal como forma de sobrevivência. As futuras políticas de desenvolvimento agrícola devem considerar as necessidades dos pequenos produtores rurais nos mais diversos ecossistemas, e criar oportunidades efetivas para seu o desenvolvimento.

 

WSPA Brasil - A WSPA participa de fóruns e comitês regionais em muitos países, com a finalidade de incluir o tema sobre bem-estar animal nas agendas de sustentabilidade local?

Vicki Hird - Temos grandes esperanças de participar, sempre que possível, de debates e eventos regionais relativos à Rio + 20 e de outros encontros, com o propósito de mostrar as razões pelas quais os animais e seu bem-estar devem ser o foco principal de qualquer debate sobre economia verde, produção de alimentos e agricultura sustentável. Além disso, diante do aumento do número de desastres naturais em decorrência de mudanças climáticas, mostramos, em âmbito regional, como é indispensável inserir os animais nos planos de prevenção de riscos e de auxílio em caso de desastres, para ajudar na recuperação e no desenvolvimento das comunidades após as catástrofes. Nossos dois novos relatórios mostram porque os animais são importantes para o desenvolvimento sustentável.

 

WSPA Brasil - Podemos fazer uma analogia entre o “Princípio da Saúde e da Felicidade”, que tem sido debatido no âmbito da sociedade de consumo, e o relacionamento com os animais e a promoção do bem-estar destes?

Vicki Hird - Em minha apresentação durante o encontro, expliquei que sustentabilidade não é um “clichê da moda”, mas sim um conceito essencial para a nossa sobrevivência no futuro. A taxa atual de intensificação e industrialização da criação de animais não é sustentável, e não representa uma solução para alimentar o mundo. Os sistemas de produção pautados por elevados padrões de bem-estar animal costumam exigir menos insumos como, por exemplo, menores quantidades de ração em grãos, de combustível e de água. Eles também mantêm os animais em menores densidades, o que reduz a poluição, e utilizam raças mais fortes e resistentes do que as raças escolhidas primordialmente para a obtenção de rendimentos elevados. Em comparação com os sistemas intensivos, outros benefícios incluem uma menor taxa de disseminação de doenças, a melhoria no ciclo de nutrientes, o aprimoramento na qualidade dos produtos, trazendo lucro aos criadores, e um aumento na segurança alimentar.

 

WSPA Brasil - A senhora gostaria de acrescentar algo relevante sobre a iniciativa da WSPA em Nova Iorque?

Vicki Hird - Ficamos surpresos diante da enorme quantidade de pessoas que compareceram ao evento e, sobretudo, de tantos representantes de países – da China à Austrália, passando pelos EUA e pela América do Sul. Também houve um comparecimento maciço de agências das Nações Unidas e de ONGs. Esperamos construir a partir dessa experiência e de todos os contatos que estabelecemos para propiciar algo novo em prol dos animais, tanto na Rio + 20 quanto nas próximas oportunidades.

Bem-estar animal e o desenvolvimento sustentável

O que é bem-estar animal?1

Em 2008, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) adotou a seguinte definição de bem-estar animal:

“Bem-estar animal significa como um animal está lidando com as condições em que vive. Um animal é considerado em bom estado de bem-estar se (com comprovação científica) estiver saudável, confortável, bem nutrido, seguro, capaz de expressar seu comportamento inato/natural, e se não estiver sofrendo com dores, medo e angústias. Bem-estar animal requer prevenção contra doenças e tratamento veterinário, abrigo adequado, gerenciamento, nutrição, manejo cuidadoso e abate humanitário. Bem-estar animal diz respeito ao estado do animal; o tratamento que um animal recebe inclui outras relações como cuidados veterinários, criação e tratamento humanitário.”

Essa definição indica que o bem-estar animal pode ser medido em uma escala, que varia de bom a precário, e que há fatores importantes que o influenciam. Esses fatores podem ser resumidos de várias maneiras e um método comum de se medir o bem-estar de um animal baseia-se nas cinco liberdades, como definido pelo Conselho de Bem-Estar dos Animais de Produção (FAWC) e em destaque abaixo.

 As cinco liberdades2

1. Livres de fome e sede
2. Livres de desconforto
3. Livres de dor, ferimentos e doenças
4. Livres para expressar seu comportamento natural
5. Livres de medo e de diestresse
 

Fonte: 1 Extraído da publicação da International Coalition of Farm Animal Welfare – ICFAW-  (Maio 2010), Animal Welfare Worldwide: the role of veterinary services in improving animal care (Bem-Estar Animal em Todo Mundo: o papel dos serviços veterinários na melhoria dos cuidados com os animais).

2 Conselho de Bem-Estar dos Animais de Produção (FAWC). URL www.fawc.org.uk. Última atualização 23/04/2010

O que é desenvolvimento sustentável?

O desenvolvimento sustentável é a capacidade de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações.

Esse conceito de desenvolvimento que não esgota os recursos naturais para o futuro surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criado pelas Nações Unidas, e ratificado no relatório “Nosso Futuro Comum”, lançado em 1987, também conhecido como "Relatório Brundtland".

Page tools:
Imprima esta Página

Conecte-se com a WSPA Brasil no:

Facebook siga-nos no twitter assista nosso canal de vídeos no youtubeencontre-nos no flickr